sábado, 23 de maio de 2009

POR CAUSA DO GESSO


Tenho uma linda amiga querida, Aparecida Garcia, que além de poeta, inteligente e culta, é uma admirável guerreira com a qual tive o privilégio de trabalhar e muito aprender.
Ela escreveu essa poesia quando quebrou o braço, quebrei o meu esta semana e estou em sintonia com seus versos.

Por causa do gesso

Meditar sobre o gesso:
empenho inusitado,
já que ele apenas
imobiliza um membro fraturado.

Sob o gesso,
a dor contínua, lancinante
desconfia de um processo
geral paralisante.

Qual nada!
Escapulindo com fluidez
a ponte móvel do sentir,
leve, livre mais uma vez,
tocando o mundo, aberto,
surrealista sem desfaçatez.

Engessar-se por dentro?
Jamais.

www.criacoesdecida.blogspot.com

4 comentários:

marlise disse...

Oi Luiza. Lamartine acabou de nos dizer que você havia quebrado o rádio. Pensamos: com certeza, deixou ele cair... Foi aí que ele nos disse que era o rádio do braço. Bem, havíamos esquecido que no braço existia tal osso... Boa recuperação, ok? Abraços.

Luiza Miranda disse...

Oi Marlise,
Pedro e eu rimos do seu comentário,
muito espirituoso.
Pena que dói, coça e é extremamente desconfortável.
Fiquei muito sentida, pq vim cuidar da Malu e aconteceu esta fatalidade!
Agradeço a força.
Bjs em todos,
Luiza
Agradeço

anne makeup disse...

luiza, esse gesso logo vai embora... aproveite para ganhar mimos e ser paparicada, ehehe ;)
bjos

Luiza Miranda disse...

Olá Anne,
Vc é mesmo uma fofa!
Obrigada,
Luiza