sexta-feira, 10 de julho de 2009

TE CONHEÇO?

Certa vez encontrei uma moça na portaria de uma empresa em que eu trabalhava e, como o lugar e a hora não eram apropriados para bate papo, limitei-me a desvencilhar-me rapidamente.

Cumprimentou-me calorosamente e, embora tenha feito algumas perguntas a fim de descobrir uma pista sobre a mesma, não surtiu resultado, porque infelizmente até hoje não consegui me lembrar de quem se tratava

Isso aconteceu várias vezes comigo, talvez pelo fato de lidar com um grande contingente de pessoas, ficava tentando recordar de onde as conhecia.

Muitos vivenciam situações embaraçosas semelhantes no seu dia-a-dia e carregam a culpa de não reconhecer o outro.

Nessas ocasiões, os homens principalmente, devem evitar a famosa frase: te conheço de onde? É necessário citar o local do conhecimento, pois do contrário pode soar como cantada barata.

Mas não é deselegante perguntar, caso necessário: me desculpe, mas como é mesmo o seu nome?

A naturalidade e tranqüilidade nestes momentos são fundamentais, para não deixar a outra parte constrangida, porque pode acontecer que você também se engane com relação ao outro.

2 comentários:

suenia disse...

Oi Luiza Saudades!

Realmente esta situação ocorre no cotidiano,passo por isto muitas vezes pelo fato de ser professora e ter vários alunos e ex - alunos. E engraçado,também já me enganei em relação ao outro rsrsrsrsrsrs.

Beijos Sú

Ps:indiquei o blog para as minhas amigas!

Luiza Miranda disse...

Oi Su,
Que bom receber seu comentário.
São coisas da vida, realmente.
Ontem foi a cerimônia da Malu aqui em BH.
Os meninos estão aqui e irão para SP hoje.
Bjs,
Luiza