segunda-feira, 6 de junho de 2011

DIFERENCIAL NO ATENDIMENTO NAS COPAS

O Brasil recebe por ano milhares de turistas com perfis variados, principalmente em datas especiais. Esse público é composto por pessoas com necessidades especiais, visitantes de diversas etnias e também homossexuais, que, somados aos congêneres brasileiros, costumam gastar em média, três vezes mais do que os turistas comuns.

Emergindo a cada dia, essa clientela está focada em acontecimentos diversos em todo o planeta, como excursões e cruzeiros marítimos exclusivos, torneios esportivos, reuniões de confraternização, convenções, paradas e em outros eventos que sejam de seu interesse, cujos atrativos vão de encontro às suas expectativas e exigências.

Atualmente, existem aguerridos defensores de classe, que realizam movimentos para que sejam coibidas as demonstrações de violência contra os participantes de eventos, como, por exemplo, a campanha “Rio: Carnaval sem preconceito”.

Partindo do princípio de que na Copa da Confederações em 2013, a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016, receberemos multiplicada essa gama de visitantes, com suas peculiaridades, exigências e necessidades e, entre eles estarão também, os portadores de deficiências, que requerem mais do que uma infra-estrutura ultrapassada e procedimentos rotineiros para recebê-los.

É necessário, portanto, uma maior conscientização e preparação dos empresários e empregados do setor de prestação de serviços quanto a este importante filão da economia. Os profissionais que atuarão nestes importantes eventos do futebol e esporte internacional para o país deverão participar, desde já, de treinamentos cujos objetivos vão de encontro à satisfação dos desejos dos componentes dessas minorias sociais.

Os estabelecimentos comerciais como hotéis, restaurantes e todos os locais que possam ser utilizados por essa clientela devem estar preparados, não somente quanto à estrutura, como banheiros que proporcionem conforto a todos, mas, principalmente, quanto ao atendimento personalizado que merecem.

O atendimento deve se primar em não revelar preferências ou discriminações com relação a esta pluralidade cultural. O atendente deve mostrar-se sempre solicito ao atender e ajudar a resolver os problemas do visitante, pois dessa maneira contribuirá para que a imagem do Brasil como hospedeiro seja vista como civilizada e imparcial perante o mundo do turismo.

Com certa alternância, informarei, em posts especiais, sobre o atendimento em estabelecimentos e empresas prestadoras de serviços, para esta clientela especial que, certamente, irá juntar-se aos demais visitantes para abrilhantar os acontecimentos da segunda Copa do Mundo a ser disputada no nosso hospitaleiro país.

2 comentários:

Marlene Machado disse...

Minha Querida Amiga, se todos os brasileiros estivessem erguendo a nossa bandeira como você, com certeza teríamos momentos de glórias não só no período da Copa e das Olimpíadas, mas sim desde agora. Vejo aqui no seu Blog uma pequena ação comparando às suas atitudes no seu dia-a-dia. Um toque de amor, e um gesto para se elevar nossa bandeira.
Parabéns!!! Vamos juntos preparar nosso país.

Luiza Miranda disse...

Querida Amiga,
Se todos pensassem como vc, que bom seria viver.
Acredito que as empresas devam preparar os seus colaboradores quanto ao atendimento e outros, porque infelizmente o que vemos no mercado, na maioria das vezes, são pessoas despreparadas para o trato com o público.
Realmente, uma atitude ou um gesto acolhedor, fazem a diferença.
Grata pelo comentário e gentis palavras.

Abs,