Translate

sexta-feira, 1 de julho de 2011

CAFÉ COM BATOM – CONVER$A DE NEGÓCIOS - ACMINAS

O relançamento do Café com Batom que aconteceu na sede da ACMinas, dia 30/06, reuniu seleto público que prestigiou o evento e teve a oportunidade de deliciar um elaborado café da manhã, promovido pelo CME – Conselho da Mulher Empreendedora, sob a presidência de Juliana Moraes.

A convidada especial, Renata Vilhena, Secretária de Estado de Planejamento e Gestão, abordou sobre o tema “Modernização da Gestão Pública do Estado de Minas Gerais. 1ª, 2ª e 3ª Gestão do Choque de Gestão”, cuja oratória encantou a todos, proferiu um brilhante discurso sobre o tema em que salientou:
“A partir do momento em que trabalhamos para o governo, trabalhamos para o povo. Quando iniciei na área administrativa tudo era muito burocrático, conforme a música “Maria Candelária” - marcha de carnaval que ilustra o descaso de uma funcionária com o serviço público, e eu não queria isso para mim.
A burocracia é importante na administração pública, pois existem fiscalizações e amarras, mas temos que ser criativos para romper as mesmas, superar os déficits, desenvolver o trabalho, com planejamento e metas.

Houve um desafio de mudar a cultura da administração. Cada escola e presídio, por exemplo, são avaliados e recebem notas pela atuação. Mudar a cultura da “Maria Candelária” modificou a moral dos funcionários. O Estado saiu do papel paternalista para cumprir sua função.
As pessoas têm que ter acesso a uma condição de vida melhor. Existe um projeto que vamos de porta em porta para saber das reais necessidades. O terceiro setor é um parceiro, sendo que várias ONGs atuam em parceria apresentando competência para atuar em diferentes situações. E, através da união de esforços, são gerados programas como o da Cia Vale do Rio Doce para o governo, de capacitação e formação de mão de obra. As demandas são muito grandes, mas com empenho podemos fazer mais pelo Estado”.

Dra Angela Pace, presidente da Junta Comercial teceu considerações a respeito das mulheres nos negócios: “Em 1983, data em que foi criado o CME, a mulher casada era discriminada quanto ao trabalho, pois quem mandava era o homem. As dirigentes deste conselho na época, contaram com a grande atuação de M. Elvira Salles Ferreira que iluminou novos caminhos e, juntas, desbravaram novos espaços para as mulheres.

A Deputada Estadual, Luzia Ferreira, fez uma interessante observação sobre o assunto em pauta: “Para existir uma nova mulher, tem que haver um novo homem”.

Estiveram presentes as conselheiras do CME e convidados, entre eles: Dr Roberto Fagundes, Cláudia Mourão, Beth Pimenta, Carmen Bavoso, Nilza Dorothéa, Marise Pessanha, Marlene Machado, Beth Moura, Yeda Fernal, Chris Diniz, Nilze Monteiro, Maria Fernanda Patrus, Luiza Azevedo, Albertina Moura, Luzia Cecília Miranda, Lucinéia Andrade, entre outras personalidades.


A ocasião foi oportuna para rever  e conhecer pessoas, fortalecer temas relativos ao universo feminino no trabalho e da qualidade de vida em Belo Horizonte, ilustrados pela palestra da Sra Renata Vilhena e demais considerações dos participantes.

A anfitriã Juliana Moraes

Deputada Estadual Luzia Ferreira, Dra Juliana Moraes, Dra Renata Vilhena, Dr Roberto Fagundes, Dra Angela Pace


Fotos: Fabio Ortolan

7 comentários:

Nilze Monteiro disse...

Luiza, parabéns pela interessante reportagem!

Luiza Miranda disse...

Querida Nilze,
Agradeço a visita e o gentil comentário.
Gde abraço,

Nilze Monteiro disse...

Tudo de bom para voce, bjão

Juliana Moraes disse...

Luiza

Obrigada pela presença e pela cobertura do evento.

Adorei seus comentários.Realmente comprovamos que temos mulheres memoráveis em nossa administração pública.

Grande abraço.
Juliana Moraes

Tatiana Redig disse...

Luiza,
Parabens pelo execelente trabalho!
Abraços,
Tatiana Redig

Luiza Miranda disse...

Juliana,
Eu é que agradeço o privilégio de estar com vcs e aprender sempre.
Gde abraço,

Luiza Miranda disse...

Tatiana,
Agradeço a visita, o gentil comentário e o apoio.
Abraços,